sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Sonegação fiscal é prática comum no comércio de Recife (PE)

A sonegação fiscal é prática comum no comércio da Região Metropolitana do Grande Recife e os consumidores devem ficar atentos e não abrir mão de pedir a nota ou cupom fiscal.

É bom lembrar que, quando o comerciante não fornece o cupom ou a nota fiscal, sonega impostos e consequentemente, falta verbas para educação, saúde, moradia, entre outros. Portanto, o consumidor não deve ficar inibido e deve pedir mesmo a nota ou então, não comprar em locais que não respeitam as normas.

Ontem, quinta-feira, dia 8 de novembro de 2012, na hora da compra de um chapéu em uma loja da Rua Direita, 130, bairro de São José, área central de Recife, pedi a nota e a jovem filha de chineses, responsável pela loja, disse que não fornecia comprovante da compra e se eu quisesse nota, fosse comprar em outro local.

Por não comprar sem comprovante de pagamento, imediatamente fui para outra loja na mesma rua, no número 193, também de propriedade de chineses, bem mais atenciosos, comprei um chapéu mais bonito, quase 50% mais barato e com cupom fiscal.

Independentemente, sem acusar, apenas um relato de um caso talvez isolado nesta referida loja, sugiro aos gestores da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco (SEFAZ-PE) e à Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária (DECCOT) aumentar a fiscalização no que se refere a sonegação fiscal e também, fiscalização do Ministério do Trabalho quanto a legalização dos jovens funcionários que, muitas vezes, não são devidamente respeitados em seus direitos trabalhistas, principalmente nesta época de final de ano.

Foto da loja que não fornece cupom nem nota fiscal aos clientes: